Mostrando postagens com marcador ciência. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ciência. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 27 de maio de 2022

newton e sua maçã - lista de eventos do livro


                                          [ newton montando a capa do disco do pink floyd ]

"newton e sua maçã", livro de poskitt, ed cia das letras, é divertido e espalha as ideias do cientista inglês com alguma facilidade.
anote aí esses destaques:

* questões familiares, na primeira infância, deixam isaac newton um tanto amuado, recolhido

* morou, na juventude, na casa do boticário clark

* aos dez anos, newton vê sua mãe retornar à casa

* governo de cromwell -- muito conservador, puritano

* aos doze anos foi para escola de gramática do rei eduardo 6

TEMAS PARA ESTUDAR

- como foi a relação dos estudos matemáticos de newton e a religião?

- pela leitura, pode-se perceber que isaac não alcançou explicações sobre gravitação, cores, tangentes e afins absolutamente sozinho... logo, o que basicamente é necessário para que surja um cientista, hoje?

- por que a figura de cientistas como newton, einstein, stephen hawking ou galileu são mostradas como excêntricas, inalcançáveis ou mesmo antissociais? 


domingo, 27 de fevereiro de 2022

para salvar povo brasileiro


   SALVAR DA INDIGÊNCIA CULTURAL

- - livros de história
- - livros de literatura
- - livros de ciência
- - orientação sexual
- - combater violência de qualquer ordem

  CONTRA IGNORÂNCIA E NEGACIONISMO

- - escolas estruturadas
- - professor(a) assistido(a)
- - comunidade integrada à escola
- - interpretação de texto
- - cesta básica
- - povo vacinado e esclarecido

- - eleger quem apoia tudo isso - -

quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

não olhe para cima: filme alerta para o perigo da burrice

 


 "não olhe para cima" (mckay/dicaprio) - netfllix.

dois astrônomos descobrem um cometa em rota de colisão com a terra. o planeta tem seis meses para desviar ou destruir a grande pedra que pode extinguir a vida no planeta.
eles -- os cientistas -- vão enfrentar o individualismo da geração que só se liga em redes sociais, desde pessoas comuns, na rua, até presidenta da república, para poder provar que é preciso fazer algo contra a extinção da vida. em vão. parte da população já se mostra descrente até da existência de um cometa, quanto mais da necessidade de detê-lo. e a lei das fake news cresce, tanto no filme, como na vida da gente...
apesar do argumento ser bem pertinente, há situações desnecessárias, como mostrar a figura da cientista dibiasky (j. lawrence) como uma descontrolada que grita quando está sob pressão. ao contrário, o astrônomo randall (dicaprio) é coerente, consegue ser articulado, sedutor etc etc. o velho machismo em ação. enfim.
confesso que as cenas após o letreiro dão um tom de filme "b" que nem sei se combina com as ideias anteriores.  
mas a narrativa é necessária pois satiriza a imbecilidade de negacionistas (sim, os anti-vacina que põem em risco vida própria e alheia) e daqueles outros que dizem ser a terra plana. 
a ciência é o único lugar por onde a vida pode ser respeitada. 
. . . . . . . .  .  .  .  .  .  .  .  .  .   .
falando um tanto mais sobre ciência -- veja o vídeo



sexta-feira, 5 de março de 2021

março 2021 é tempo de agir contra vírus e ignorância

 


- manter o distanciamento

- escolas fechadas

- lavar as mãos 

- usar máscara

- acreditar na ciência

- ficar em casa

e assim, cuidar dos seus e da comunidade

lutar contra a ignorância é divulgar realidade, exercitar empatia, fortalecer argumentação em favor da vida, na terra (redonda)

não existe cloroquina que salve, nem spray, não existe tratamento preventivo contra covid, hoje. não é "mimimi", nem alarmismo. é realidade. 

prevenção é não circular!

        FIQUE EM CASA

      ACREDITE NA CIÊNCIA

    DIVULGUE A REALIDADE PARA EVITAR MAIS MORTES

     COMBATER IGNORÂNCIA SALVA VIDAS


compartilhe este post se você achou útil
- obrigado!



sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

2020: ano muito difícil, mas...

                                           

                                               [ dezembro, 2020 ]

ano muito difícil, esse 2020. 

frase é clichê, eu sei. mas poderia ter sido menos pior se não fosse a outra epidemia: a da igonorância. 

vide casos de terraplanismo, descrença em vacinas e outras aberrações conhecidas através de "fake news". a ascensão do racismo institucional, as demais violências, destruição da natureza, tudo isso abala qualquer um com mais de dois neurônios. e houve quem apoiasse tudo isso, vale sempre lembrar. o que fazer para que saiamos desta, vivos ? 

já disse aqui e em outros lugares: valorizar escola. valorizar ciência, arte, empatia. divulgar notícias úteis. apoiar plataformas políticas de cunho social. lamentavelmente são poucas, mas há. não ter vergonha da depressão. fale. mexa-se, na medida do possível... no quintal, na sala, varanda... multiplique os pedidos de distanciamento social, o valor às vacinas, o zelo pelo planeta. 

está cansando isso tudo, eu sei.  e como sei.

estava com três trabalhos formais, no começo de 2020. agora, em dezembro, apenas um. 

deixei, por vontade própria, os outros dois: saúde mental em frangalhos e a necessidade de manter base vital mínima para cuidar dos meus próximos e permitir acolhimentos.


quem esteve e está sempre comigo: a bia. é de onde sai quase toda fonte de vida pra mim. 

preciso olhar mais os sentimentos... os meus, claro. e responsabilidade nas ações, é sim. há os filhos, há famílias, planos, algum caminho pra seguir. 

vontade de contribuir não falta. devo conseguir.

vamos pra 2021. 

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

nova onda de contaminações por covid expõe crise de inteligência

                                 

novembro 2020

europa entra para uma nova onda de contaminações, mortes e tensões. 

anuncia-se novo lockdown, toque de recolher, campanhas por não aglomeração e afins. igualzinho abril, deste ano. 

em s paulo, 01 de novembro, figuras humanas fazem manifestação contra vacina que não existe ainda. são os "anti-vacina". teóricos da conspiração que nunca tiveram uma aula de história na vida e acreditam que ser alguém é ter bens materiais. 

sutilmente denominados "o gado", essa gente divulga notícia falsa sobre origem do vírus e, por tabela, sobre a própria sanidade. quem age contra a ciência é sim conivente e cúmplice ante milhões de mortes. dá muita raiva.

mais do que nunca é preciso divulgar a ciência, a verdade, o óbvio. 

muitas escolas estão  deixando de tratar deste assunto para lidar com as leis de newton, regras de acentuação ou mitose. depois, quando aparecem os rubem alves da vida jogando pedra na escola, muitos reclamam. tudo perde importância diante não mais do covid em si, mas da ascensão do horror das fake news, os anti-vacina, egoístas, os que pensam apenas em si mesmos. os que desprezam a verdade. 

o avanço na produção de vacinas, como se vê em alguns países, se dá por conta de altos investimentos. é uma pandemia. é urgente. daí, aquele processo comum de dois ou três anos acaba mesmo diminuindo. isso dá falsa impressão de que estão fazendo vacina sem critério, às pressas. bobagem. quem nunca gostou de estudar tem mesmo dificuldade em entender processos desse nível. daí, a necessidade de se fazer perguntas. sempre é bom. perguntar para quem existe e estuda, de preferência.

o que é quase incompreensível são festas, gente nas calçadas, praias, centros de compras, tudo sem máscara. usar o artefato irrita, eu sei. cansa. mas se não for feito, o vírus passa a outras pessoas. daí, mais tempo usando máscara. quanto mais cedo controlar a doença, mais cedo deixaremos de usá-las. onde está a dificuldade em compreender?

a continuar essa toada de negação à ciência o rebanho será contaminado. provavelmente extinto. lei de darwin. 


sábado, 3 de outubro de 2020

meu professor polvo - documentário

 


meu professor polvo, documentário na plataforma netflix. lançado em 2020, é produção sul-africana. indicação da natália carneiro.

direção : pippa ehrlich e jamess reed  

o documentário trata dos mergulhos de craig foster que acompanha a rotina de um polvo fêmea, suas aventuras com tubarão, métodos de caça, maneiras de se camuflar e, principalmente, a relação que ela cria com o mergulhador.

tudo isso em mais de trezentos dias.

tempo mais que suficiente para que craig descubra -- em sua relação com a natureza --, o lado instintivo de existir e, também, a sintonia necessária para perceber que o oceano pode ser uma grande mente.

na escola, sugerir que estudantes -- desde o meio do ensino fundamental 2 até o médio -- façam uma resenha, um comentário e descubram que não se trata apenas de uma temática científica. não é algo específico da área de biologia, por exemplo. 

conceito de inteligência; tempo para respirar; ciclo da natureza a se respeitar; métodos de comunicação...

filosofia, sociologia, produção de texto, arte, educação física, matemática, praticamente todas as áreas podem explorar o documentário em suas aulas... sugerir atividade interdisciplinar e também combinar esse documentário com o livro "ideias para adiar o fim do mundo", do ailton krenak, poderia ser a salvação de tudo, juro.

recomendo.



terça-feira, 23 de julho de 2019

insanidade é consequência do egoísmo dos mais fracos



negar a ciência e fatos sensíveis superam em muito as sandices de dom quixote ou odorico paraguçu.
é estarrecedor como esta ideia de terra plana se instalou e ganha adeptos entre humanos ditos sapiens.
o terrível disto é a possibilidade de que mais mentes alteradas queiram fazer crer, por exemplo, que no brasil não há fome; que a devastação da amazônia não é o que se relata nos institutos científicos. 
bom tema para redação, heim!
veja os vídeos abaixo, prepare-se






quarta-feira, 8 de maio de 2019

espalhar educação, conhecimento e cidadania






pela democracia
pelo futuro que se avizinha obscuro e letal
pelo presente que nos esmaga
pelo passado que não deve ser esquecido

este golpe desde 2016 planta a semente do ódio aos pobres, criminaliza a miséria social

é autofagia

necessário se faz manter a população acordada!

educadores de toda ordem
estudantes
diletantes
gente que gosta de viver com justiça

vamos espalhar o que é justo!
o que alimenta o intelecto
vamos compartilhar filosofia, ciência, arte, saúde, prazer, empatia...

por favor







segunda-feira, 3 de abril de 2017

aprendendo redação #7 [ análise de texto ]






treinar análise de texto é básico para quem quer se sentir seguro na redação para vestibulares.
hoje, a provocação passa pela ciência.

confira os textos, imagens e depois responda.

. . . . . . . . . . . .  .  .  .  .  .  .  .   .   .   .
texto 1

Começa no Cariri, no Ceará, maior busca de dinossauros do Brasil

Estado de S Paulo – Lauriberto Braga  22 agosto 2013 

Pesquisadores cearenses esperam encontrar grandes pterossauros em escavações que começaram nessa quinta-feira, 22, em Santana do Cariri, no Cariri cearense. A maior escavação paleontológica do Brasil integra um projeto de pesquisa iniciado há dois anos, que já foi responsável por achados de destaque no cenário científico, a exemplo de um dos maiores pterossauros já vistos no mundo, o Tropeognathus mesembrinus.


O réptil foi encontrado em 2011 e apresentado em março, no Museu Nacional do Rio, por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Regional do Cariri (Urca). O coordenador da pesquisa, Álamo Feitosa, diz que o trabalho agora "poderá revelar surpresas". "A área tem uma grande incidência de fósseis, principalmente peixes." Outro achado inédito foi uma espécie de camarão, único já registrado no mundo. Todos os novos achados vão para o Museu da Paleontologia de Santana do Cariri. O local já apresenta um acervo de mais de 9 mil peças, incluindo as cerca de 1.500 expostas para visitação. São fósseis de dinossauros, pterossauros, peixes, tartarugas, rãs, lagartos, insetos, moluscos e uma coleção paleobotânica com folhas, flores, frutos e troncos. "No museu está abrigada a maior coleção de fósseis do Cretáceo do Hemisfério Sul. A plástica das peças que compõem o acervo do museu é muito boa porque é composta de formas tridimensionais com tecidos moles preservados", destaca Álamo Feitosa. (...)

 texto 2

Fóssil de jabuti de 8 milhões de anos é apresentado por universidade do Acre
               Estado de S Paulo  – Arruda   16 abril 2013


As comemorações dos 30 anos de atividades do Laboratório de Pesquisas Paleontológicas (LPP) da Universidade Federal do Acre (Ufac) começaram nessa terça-feira, 16, com a apresentação da sua nova estrela da coleção fóssil: um jabuti gigante, medindo aproximadamente 1,65 metro de comprimento, 90 centímetros de largura de carapaça e um metro de altura. O gigantesco animal, pertencente ao gênero Chelonoidis, viveu durante o período chamado "Mioceno Superior", há cerca de oito milhões de anos. Seus fragmentos fósseis foram coletados em 1995, no Alto Rio Acre, em área do município de Assis Brasil, e montados nos últimos anos, com auxílio de elementos artificiais que representam as patas e a cabeça do jabuti. (...)

  texto 3



  

 . . . . . . . . . . . . . . .  .  .  .  .  .  .  .  .  .   .   .    .


QUESTÕES

A. Observe que professores e especialistas das universidades citadas estão empenhados em analisar o Pterossauro. Qual o nome que define este tipo de estudo?

B.  Ainda sobre o texto 1, por que Álamo Feitosa teria destacado que a forma tridimensional, das peças é muito boa? Ou seja, por que essa observação dele é importante? Dê sua opinião.

C. Veja a imagem (texto 3) e responda: por que Calvin teria confundido “aquela coisa” com um fóssil

D. Em sua opinião, por que Haroldo (tigre), no último quadrinho, faz observação sobre as roupas do menino? 


confira aqui o post com as respostas

. . . . . . . . .  .  .  .  .  .   .   .    .




sábado, 29 de outubro de 2016

a matéria é energia aprisionada




carlos drummond de andrade  -- de cuja obra pouco gosto --, em “rosa do povo”, nos escreve que uma flor nascera na rua. feia, mas flor. vinícius, mais violento e não menos poético, escreve "rosa de hiroshima"... que tipo de energia expõem?
é fácil responder quando se tem a mão “albert einstein e seu universo inflável”. divertido mas exige do leitor leigo um tanto de paciência para compreender a linguagem dinâmica da ciência matemática e da própria física, a respeito da luz, movimento, dimensões, buraco negro, tempo.
enfim, um chamado “quebra-cabeças” do universo. esse nome, aliás, me irrita, porque só seria capaz de montar um “quebra-cabeças” alguém com a cabeça quebrada, eu não gosto dessa lógica comum que trata quem não é cientista como uma larva em coma. fernando pessoa, marx ou mesmo sócrates tentaram explicar o mundo, mas não ganharam tanto sucesso quanto cientistas como newton, galileu ou einstein que, aos olhos das larvas, fizeram coisas difíceis, “cabeludas”, como diz o singelo volume da coleção "mortos de fama”. gosto do livro mesmo assim, creiam.
einstein lutou contra a guerra. de origem judaica, o cientista esteve em países da europa e nos estados unidos sempre usando de sua fama como cientista para ser ouvido, no que diz respeito à luta contra o nazi-fascismo, por exemplo.
e o livro ajuda a desmistificar a figura do cientista que sempre foi mostrado nos meios de comunicação como alguém fora da razão. qual o interesse de se rotular alguém estudioso como amalucado? estudar é algo que provoca; ilumina. isso, por si, já diz tudo. vem da era medieval essa mania de se tratar cientista como doente. galileu, que viveu fora da idade média, continuou sentindo na pele essa perseguição... einstein foi perseguido por ser judeu, menos pela inteligência, mas a caricatura do "pensador-maluco" lhe pegou e, como poucos, albert usou disto para divulgar ainda mais suas descobertas.
eleito homem do século, pela revista norte-americana "time", einstein é um dos caras que ajudou a humanidade a, pelo menos, tomar ciência de que pouco se  sabe. 
viva sócrates.
. . . . . . . . .  .  .  .  .  .  .  .  .   .   .
em tempo: o amigo mercelo teixeira, físico, já me alertou para o caso simples que é o encontro -- aqui no ocidente -- da humanidade com a ciência, com as matemáticas, que se dá, em média, após dos dez anos de idade, no mínimo. às vezes, nem isso. é mais cotidiano e simples, tratar do tempo, das borboletas, da chuva e do cantar bem antes dessa idade. é natural. agora, equações, astronomia, átomos, gravitação ou mecânica são temas que necessitam mesmo tutorial, daí essa celebração maior a cientistas do que, por exemplo, poetas ou pintores, ao longo do período escolar, por exemplo.
aceitei.