sábado, 29 de junho de 2024

dom casmurro sempre na moda

 

dom casmurro

romance do século 19, quase tão famoso quanto arroz com feijão.

quanto custa ?  clica abaixo e escolha!


sexta-feira, 28 de junho de 2024

carta campinas entrevista professor

 


a plataforma "carta campinas" me convidou para uma conversa. foi ótima! 

com glauco, miguel e luís parra trocamos ideias e compartilhamos algumas angústias. 

os temas? política, educação e literatura.

se gosta, vale pena ir ao canal deles -- ytbe clique aqui -- e ver toda a conversa que durou mais de uma hora!

se preferir, fiz uma edição resumida, aqui, é só clicar.




quarta-feira, 26 de junho de 2024

resumo das notícias do dia

 

                                                     [ ilustração por c h carneiro - via i.a. ]


        resumo das notícias do dia


           vamos morrer

           mas não agora


segunda-feira, 24 de junho de 2024

poesia falada é slam

 

alê barreto (slam capão, s paulo)

em 2009, a amiga julia ciasca estava na alemanha. de lá, ela me falaou do poetry slam, evento literário que então acontece uma sexta feira por mês, desde 1997. ocorre em bares e clubes, dentre outros espaços. a coisa toda, na alemanha, se chama statz nach vorn, algo como "frase adiante". existe classificação, júri e prêmios.
fico pensando em incluir poesia nas próximas olimpíadas, já que pela grécia essa atividade artística -- o versejar -- era sempre exaltada. são três minutos que o ser humano tem para transmitir seu texto. não pode música. nem figurino específico. eu ganharia fácil do gabriel, o pensador, certeza. pois então fica uma dica excelente, nos mundos da poesia orgânica e ao vivo... se você já ouviu falar em "sarau", pode atualizar.
obrigado ju ciasca. slam incorporado com sucesso.
     . . . . . . .  .  .  .  .  .   .   .   .    .

    clica pra ver a literatura da coisa



quarta-feira, 19 de junho de 2024

escolas literárias - pequeno painel

 


vejam esta:


abaixo, do realismo até século 20






dante também está cansado

 

                                     [ dante e gérion -- ilustração: carlos h carneiro -- via i.a. ]


aqui no sudeste faz frio, venta, multiplicam-se galhos e folhas pela rua. roteiro que lembra um livro lá de florença, itália.
no caminho, inferno a dentro, o poeta dante sente arrepios de pavor diante de despenhadeiros, rios de fogo, poços fumegantes, fora a chance de ser morto por um centauro imenso. é "
a divina comédia", lá do século 14. 

não há centauros, lá fora, mas o barulho do vento pela janela incomoda. há notícia de pessoas sem casa ou sem teto. bueiros entupidos, árvore sobre carros e carros boiando em alagamentos. no rádio toca "meu santo tá cansado" (o rappa). qual saída?
para dante, poeta virgílio o aconselha abraçar-se a gérion, um monstro, meio gente, meio réptil, e assim poder passar de uma parte a outra, na busca de sair do inferno. ou seja, abraçar-se ao terrivelmente mau paa ter um pouco de paz...nesse caso, é literatura que fala?

  . . . . . . . . .  .   .   .


um pouco mais sobre "a divina comédia"




sexta-feira, 14 de junho de 2024

mão na cabeça, freud!

 


dizem que terapia é exercício para cérebro, mas nos últimos tempos tem sido mais que isso. pra começar, não caio na armadilha do "corpo e alma", como se uma coisa existisse por si só, separada dessa outra (anima) sem forma nem definição. fim da idade média. o humano, desde aristóteles, é animal racional e, aí, já entramos noutro problema com palavras. por que só ele o racional? uma coruja elabora seu trajeto até o ninho, depois até a presa, prepara seu vôo, ataca, enfim, está usando algum tipo de lógica, seu insitinto, digamos, racional. qualquer bicho articulado (com exceção do macunaíma) elabora, pensa e age de acordo com seu meio também, mesmo que seja para mudá-lo, como os castores e os humanos. pensar não dói.

olhem, tanto lou marinoff quanto marc sautet  defendem o bem-estar do homem pela fiolosofia. se ainda não conhece, deveria ler "mais paltão, menos prozac", do primeiro, e "um café para sócrates", do segundo.