sexta-feira, 5 de julho de 2024

cuidados com as aves: como atraí-las

 

você tem quintal? varanda? garagem, beirada de janela... enfim, tudo é possível para atrair essas figuras com asas e cores e colaborar para natureza não sumir...

pássaros regulam população de insetos, polinizam, espalham sementes e leveza
veja aqui algumas chances ter esses bichinhos mais próximos e livres! 

  clica nos links abaixo e escolha 


A.

A. banho de aves - resina - clica


B.

B. fonte de água por energia solar - clica

C. 

C
bebedouro suspenso - simples - clica


D comedouro em madeira para montar - clica

  . . . . . . . .  .  .  .  .  .  .   .   .

     por que estou vendo essas publicidades?
        - clica no link abaixo pra saber -

        carneiro é parceiro da amazon

quarta-feira, 3 de julho de 2024

kindle em promoção é vanguarda

 


   vejam o que amazon está fazendo

 1. ver por quê ?

resposta: sou associado amazon, daí acesso links e divulgo

 2. e daí ?

resposta: daí que é só clicar na oferta dos links abaixo e ser feliz -- e eu posso ganhar comissão, é simples

      kindle é leitura moderna - amazon - clica

 3. outras ofertas de peso da amazon

         música - ilimitada  -  clica

       prime day - amazon - julho 2024  - clica

       lista do bebê - impagável - clica

           assine amazon !  - clica

#ficaadica  - - sempre que puder, visite a lojinha -- há mais ofertas --, de repente, um produto que você quer está selecionado lá, daí é uma ajuda e tanto  

eis o paraíso:   lojinha amazon do carneiro - clica!

segunda-feira, 1 de julho de 2024

parceiro amazon dá dicas para produtos

                                        


sim, eu mesmo
fui aceito como associado da empresa amazon

consigo divulgar produtos de que gosto e aqueles que servem a determinados públicos, como estudantes, leitores(as) ou curiosos(as) do mundo da arte, da vida cotidiana etc...

pra que serve isso de "amazon influencer"?  

simples: mais divulgação para produtos que talvez muitos não conhecessem, sem essa intermediação

como funciona? - você clica na lojinha e acessa produtos selecionados; caso algum interesse, continua-se a compra normalmente

fato novo é o link enviado pelo parceiro cadastrado amazon (
eu)
          -
ganho comissão (business) -

#ficaadica  - - sempre que puder, visite a lojinha- salve nos seus favoritos--, de repente, um produto que você quer está selecionado lá, daí é uma ajuda e tanto  -- ah, pra você não tem custo algum! 

como acessar a lojinha do carneiro? -- clicando abaixo no link:

      lojinha do carneiro na amazon  - clica

          agradeço muito!

sábado, 29 de junho de 2024

dom casmurro sempre na moda

 

dom casmurro

romance do século 19, quase tão famoso quanto arroz com feijão.

quanto custa ?  clica abaixo e escolha!


sexta-feira, 28 de junho de 2024

carta campinas entrevista professor

 


a plataforma "carta campinas" me convidou para uma conversa. foi ótima! 

com glauco, miguel e luís parra trocamos ideias e compartilhamos algumas angústias. 

os temas? política, educação e literatura.

se gosta, vale pena ir ao canal deles -- ytbe clique aqui -- e ver toda a conversa que durou mais de uma hora!

se preferir, fiz uma edição resumida, aqui, é só clicar.




quarta-feira, 26 de junho de 2024

resumo das notícias do dia

 

                                                     [ ilustração por c h carneiro - via i.a. ]


        resumo das notícias do dia


           vamos morrer

           mas não agora


segunda-feira, 24 de junho de 2024

poesia falada é slam

 

alê barreto (slam capão, s paulo)

em 2009, a amiga julia ciasca estava na alemanha. de lá, ela me falaou do poetry slam, evento literário que então acontece uma sexta feira por mês, desde 1997. ocorre em bares e clubes, dentre outros espaços. a coisa toda, na alemanha, se chama statz nach vorn, algo como "frase adiante". existe classificação, júri e prêmios.
fico pensando em incluir poesia nas próximas olimpíadas, já que pela grécia essa atividade artística -- o versejar -- era sempre exaltada. são três minutos que o ser humano tem para transmitir seu texto. não pode música. nem figurino específico. eu ganharia fácil do gabriel, o pensador, certeza. pois então fica uma dica excelente, nos mundos da poesia orgânica e ao vivo... se você já ouviu falar em "sarau", pode atualizar.
obrigado ju ciasca. slam incorporado com sucesso.
     . . . . . . .  .  .  .  .  .   .   .   .    .

    clica pra ver a literatura da coisa



quarta-feira, 19 de junho de 2024

escolas literárias - pequeno painel

 


vejam esta:


abaixo, do realismo até século 20






dante também está cansado

 

                                     [ dante e gérion -- ilustração: carlos h carneiro -- via i.a. ]


aqui no sudeste faz frio, venta, multiplicam-se galhos e folhas pela rua. roteiro que lembra um livro lá de florença, itália.
no caminho, inferno a dentro, o poeta dante sente arrepios de pavor diante de despenhadeiros, rios de fogo, poços fumegantes, fora a chance de ser morto por um centauro imenso. é "
a divina comédia", lá do século 14. 

não há centauros, lá fora, mas o barulho do vento pela janela incomoda. há notícia de pessoas sem casa ou sem teto. bueiros entupidos, árvore sobre carros e carros boiando em alagamentos. no rádio toca "meu santo tá cansado" (o rappa). qual saída?
para dante, poeta virgílio o aconselha abraçar-se a gérion, um monstro, meio gente, meio réptil, e assim poder passar de uma parte a outra, na busca de sair do inferno. ou seja, abraçar-se ao terrivelmente mau paa ter um pouco de paz...nesse caso, é literatura que fala?

  . . . . . . . . .  .   .   .


um pouco mais sobre "a divina comédia"




sexta-feira, 14 de junho de 2024

mão na cabeça, freud!

 


dizem que terapia é exercício para cérebro, mas nos últimos tempos tem sido mais que isso. pra começar, não caio na armadilha do "corpo e alma", como se uma coisa existisse por si só, separada dessa outra (anima) sem forma nem definição. fim da idade média. o humano, desde aristóteles, é animal racional e, aí, já entramos noutro problema com palavras. por que só ele o racional? uma coruja elabora seu trajeto até o ninho, depois até a presa, prepara seu vôo, ataca, enfim, está usando algum tipo de lógica, seu insitinto, digamos, racional. qualquer bicho articulado (com exceção do macunaíma) elabora, pensa e age de acordo com seu meio também, mesmo que seja para mudá-lo, como os castores e os humanos. pensar não dói.

olhem, tanto lou marinoff quanto marc sautet  defendem o bem-estar do homem pela fiolosofia. se ainda não conhece, deveria ler "mais paltão, menos prozac", do primeiro, e "um café para sócrates", do segundo.



quinta-feira, 9 de maio de 2024

a letra líquida: novo livro chegando

 

                                                          [ centro de ciência da luz ]
                                  uma das ilustrações do livro -- via i.a. -- por mim mesmo


sim, tem novo livro saindo.

depois de "abolição via vargas", em 2021, agora vem "letra líquida".

estou com a editora viseu, desta vez. trabalho claro, acolhedor e desperta confiança.

bom, qual é a história?

narrador e amigo se vêem ligados a uma moça chamada moema. século 21. por um tempo, os três moram juntos, depois descobrem que a tal moça, na verdade... olhem, vou colocar um trecho:

   . . . . . . . . . .  .  .  .  .  .   .   .    .

   (...)

O começo de tudo foi assim: a igreja de Nossa Senhora d’Ajuda, abençoada e abraçada por Manuel da Nóbrega, o padre, é do século 16 também. Bahia.    (...) 

A região do Arraial é repleta de lendas que envolvem o tema da água que jorrou para fiéis católicos. Água. E Moema, em sua alegre depois triste história morreu onde? Na água. Guarde isso, vai servir, no fim da história.

Olhem, quando acontece um restauro de parte da igreja, lá no século 18, encontraram um pequeno baú de carnaúba, num buraco, feito uma vala, colado ao altar, sob o piso. Nele, havia panos velhos, rolos de papel esfarelento, uma moeda e pedaço de um quadro, em madeira, que parecia uma santa católica meio travestida de índia. Uma tupinambá. 

                                             [ letra líquida, ed viseu -- no prelo ]

não vou contar tudo, óbvio. aguardem!

vou avisar por aqui e no instagram:  @carneiro_liter  quando o livro estiver no ar! vai ser este ano de 2024!


sábado, 4 de maio de 2024

vida e morte de m j gonzaga de sá - considerações

 


quando : início do século 20

quem :  augusto machado e gonzaga de sá

romance em 1a. pessoa: augusto machado

personagem central : manuel joaquim gonzaga de sá

por que ler: livro publicado em 1919 discute realidade brasileira pós-império, no rio de janeiro; expõe males da eugenia e escancara abismo que separa pobres daqueles que têm poder... e é obra do lima barreto

conflito: diferença de classe

veja o que falei do livro neste vídeo




domingo, 21 de abril de 2024

céu líquido


[ ilustração: carlos h carneiro via i.a. ]


na peça "vestido de noiva" (n. rodrigues), a personagem alaíde sofre alucinações em cama de hospital, vê figuras do passado, revive realidades... a criatura de "frankenstein" (shelley) com certeza deve ter sofrido um tanto, antes de abrir os olhos amarelos, na alemanha. há outros aqui, na estante, sofrendo do mesmo mal, como naziazeno (os ratos), luís (angústia), quixote (d. quixote), mersault (o estrangeiro), sidonio rosa (venenos de deus, remédios do diabo) ou mesmo hamlet, que dispensa comentário. tudo povo alucinado. angustiado.
a depressão é a primeira curva na estrada das alucinações, não sei como se viraram esses personagens, porque estão sempre na curva, encostados, uns nos outros, aqui na estante do quarto, um empurra-empurra secular, às minhas costas, agora, enquanto escrevo. não é boa a sensação, quando se tem na estante "a queda da casa de usher" (poe) ou "fantasma de canterville" (wilde)... isso parece não ter fim. mas é só literatura. ou não.

terça-feira, 16 de abril de 2024

o que é seu fica nos livros

 



o que é seu, fica nos livros. a frase é minha mesmo, pode aparecer em alguma publicaçao, de repente… depende de muita coisa, mas a frase é boa. nicolau é o nome de hoje. polônia, maio de 2010, finalmente fizeram enterro oficial dele, o nicolau copérnico (1473-1543), chamado pai da astronomia. não é bem certo, porque os gregos, os egípcios ou os incas já faziam muitas coisas bem antes de nicolau engatinhar, mas como tudo na vida é marketing, alguém ficou dizendo ele era o pai, então fica sendo.

o polonês, além da formação em matemática, também estudou medicina e foi ordenado padre. a questão, para quem não sabe, é que nunca se conheceu, ao certo, o local, na igreja, onde estaria o corpo do matemático. ele estaria na catedral de frombork, junto a dezenas de outras pessoas, sem identificação precisa, desde o século 16. então, fuçando em algumas ossadas e combinando com dna encontrado num livro que ele manuseava – havia fiapo de cabelo nele –, chegou-se a uma conclusão: alguns ossos encontrados, em 2010, na catedral de frombork, polônia, eram mesmo de copérnico.
o que era dele, tinha ficado nos livros.

 


quarta-feira, 10 de abril de 2024

água corrente: a fonte que salva

 


concepção arte: carlos h carneiro
 via i.a. (2024)

um arquiteto italiano, lá no século 18, dirigiu e organizou a construção da famosa fonte de água, em roma. a tal fontana de trevi. muitos arquitetos trabalharam ali por trinta anos, até ficar tudo pronto. a fonte não só refresca a vida de quem passa por ali, como inspira as pessoas a pensar a respeito dos símbolos erguidos: cavalos, mitos, colunatas de inspiração grega... ah, o nome do italiano: nicola salvi. foi quem começou a coisa. 

pois é, aqui, no país tropical, o calor castiga. não há muito o que salvar, nem reclamar porque, lá atrás, avisaram. queimadas, especulação imobiliária, ganância, combustíveis fósseis etc, tudo traria problemas graves. é o que estamos vivendo.
no conto "a terceira margem do rio", do rosa, um homem sobe num barquinho reles e parte para o meio da água para nunca mais voltar. dizem que foi o cansaço da vida em terra. outros falam do calor... alguns citam loucura. outros afirmam que era cruzeirense. não importa. eu queria mesmo é a fonte.


quinta-feira, 4 de abril de 2024

para viver um grande quadro

 

                                  [Vinícius de Moraes, 1938 – óleo –  56 x 47 cm  - Portinari]

                            [Maria L Proença, 1938 – óleo –  60 x 73 cm  - Portinari]

 

durante muito tempo, não soube que cândido portinari tinha feito retrato do poetinha. e ainda jovem. folheando "para viver um grande amor", do vinícius, achei uma crônica em que ele reclama com a filha susana, a posse do quadro. ela, prestes a casar-se, levaria consigo a peça de portinari. a questão era coerente: a nova namorada de vinícius (futura esposa) tinha sido também retratada por portinari: maria lúcia proença. o traço do pintor traz uma sobriedade que talvez não combinasse com ele, mas quem sabe do que se passa em mente de artista? se susana devolveu-lhe o quadro, não sei. só garanto que tenho um tanto de inveja desses anos 1930, 40, 50, no rio de janeiro, por onde passaram figuraças da música, arquitetura, cinema, literatura… de drummond a guimarães rosa, de vinícius a tom jobim... também clarice, maria martins, niemeyer, garrincha, cariocas ou não, estavam por lá, através do mundo da política, arte ou simplesmente pela boemia. dizem que tempo bom é o que a gente faz, então me acalmo… daí, não penso mais em um retrato meu, feito por portinari… difícil. primeiro, o pintor está morto; segundo, vinícius não me emprestaria a camisa rosada.

  . . . . . .  .  .  .  .  .  .   .   .    .     .

 clica e conheça os casamentos de vinícius 

 clica para saber mais sobre suas mulheres

 [ supreenda-se com uma personagem de lobato no meio de tudo ]

sexta-feira, 29 de março de 2024

lembrar para não repetir - 31 de março

 

                                                                    arte : caio gomez

o golpe militar, no brasil, aconteceu em 1964. faz tempo... deposto presidente joão goulart, em primeiro de abril tínhamos novo presidente, agora general. começou um período horripilante em nossa história, com tortura, mortes, censura e o fim do voto direto à presidência, dentre outras privações. a coisa toda durou mais de vinte anos e ainda ecoa. é importante relembrar. é importante tratar do assunto sim, principalmente, na escola. indico os filmes "pra frente brasil" (1983) e "zuzu angel" (2006), para ficar em dois, retratam com maestria o período. agora, há um outro, mais poético – se  cabe poesia aqui – é "o ano em que meus pais saíram de férias" (2006), de cao hamburger, cuja narrativa se passa no primeiro semestre de 1970, já no governo médici. parte das filmagens se deu em campinas, são paulo. é o último filme de paulo autran. nele, o jovem mauro, uns oito anos, espera os pais voltarem, foragidos que estão em função da ditadura. duas imensas expectativas se apoderam do garoto: a volta dos pais e poder assistir, pela primeira vez, a seleção masculina de futebol, na copa do mundo, pela televisão. lembrar pelé, tostão, rivellino e companhia, necessariamente, é saudar também outros heróis, anônimos ou não, que morreram ou foram torturados em nome da liberdade civil.

domingo, 24 de março de 2024

pensar na morte esvazia ansiedade

 

                                                        criação arte: carlos h carneiro
                                                                      -  via i. a.  -

na crônica  "sobre morte e morrer", machado registra: "qualquer de nós teria organizado este mundo bem melhor do que saiu". é a primeira linha. queria ter escrito isso, embora todo mundo diz tal coisa com outras palavras, gestos ou até silêncio. organizar o mundo é necessário, a começar pela vida própria. e pensar na morte esvazia um pouco a ansiedade, acreditem. dá ideia de que algo pode ficar como legado. algo bom ou ruim, não importa. falando nisso, mortes na literatura: pode-se começar por aquela quase suave em "iracema"; ou a sanguinolenta de "a hora a e a vez de augusto matraga" ou ainda a intensa de madalena, em "são bernardo". há outros tantos textos que passam pelo assunto “morte”, como em "o cortiço" (efeitos da miséria), "noite na taverna" (efeitos do álcool) ou "nove noites" (efeitos da angústia). 
numa outra crônica "considerações sobre o suicídio", o mesmo machado dispara: "(...) a questão do suicídio é antes resolvida no sentido da fraqueza que no da coragem. é um problema psicológico fácil de tratar entre o largo do machado e o da carioca. se o bond for elétrico, a solução é achada em metade do caminho".

discordo. quem bota fim na existência tem muita coragem. 
uma pilhéria ácida esse machado de assis (1839-1908).


* o nome "largo do machado" faz referência ao oleiro andré machado que, no século 18, era dono de terras no lugar