sábado, 16 de dezembro de 2023

hutukara - samba-enredo salgueiro 2024 - não vamos nos render

 


[ estatueta de omama enviada à organização do oscar 2023, eua ]
_ arte: felipe corcione _


 É Hutukara! O chão de Omama
 O breu e a chama, Deus da criação
 Xamã no transe de Yakoana
 Evoca Xapiri, a missão
 Hutukara, ê! Sonho e insônia
 Grita a amazônia, antes que desabe
 Caço de tacape, danço o ritual
 Tenho o sangue que semeia a nação original
 Eu aprendi português, a língua do opressor
 Pra te provar que meu penar também é sua dor
 Falar de amor enquanto a mata chora
 É luta sem flecha, da boca pra fora!
 Tirania na bateia, militando por quinhão
 E teu povo na plateia, vendo a própria extinção
 Yoasi que se julga: Família de bem
 Ouça agora a verdade que não lhe convém
 Você diz lembrar do povo Yanomami em 19 de abril
 Mas nem sabe o meu nome e sorriu da minha fome
 Quando o medo me partiu
 Você quer me ouvir cantar em Yanomami
 pra postar no seu perfil
 Entre aspas e negrito, o meu choro,
 o meu grito, nem a pau Brasil!
 Antes da sua bandeira, meu vermelho deu o tom
 Somos parte de quem parte, feito Bruno e Dom
 Kopenawas pela terra, nessa guerra sem um cesso
 Não queremos sua ordem, nem o seu progresso
 Napê, nossa luta é sobreviver!
 Napê, não vamos nos render!
 Ya temí xoa! Aê, êa!
 Ya temí xoa! Aê, êa!
 Meu Salgueiro é a flecha
 Pelo povo da floresta
 Pois a chance que nos resta
 É um Brasil cocar!

  Composição -
Pedrinho Da Flor / M Motta / Arlindinho Cruz / R Galante / Dudu Nobre / L Gallo / Ramon Via 13 / R Ribeiro

* h
utukara - associação yanomami (sem fins lucrativos) que reúne habitantes da terra yanomami
* xapiri  -  espíritos da floresta
* yakoana  -  substância alucinógena feita para rituais xamânicos 
* omama  -  entidade divina que criou os yanomâmi; guerreiro criador
* yoasi  -  criação de seu povo yanomâmi se deve à copulação de omama com a filha do monstro aquático taperesiki; já yoasi é irmão de omama -- ele é responsável pela morte e os males do universo
* napê  - ou "napepê" - significa "não" -- também pode ser referência a quem não é yanomâmi ou simplesmente um inimigo
* kopenawa
  -  davi kopenawa, liderança indígena yanomâmi; ativista
* ya temí xoa  -  expressão yanomâmi: "você ainda vive?" --  serve como cumprimento a quem não se vê há tempos
* bruno e dom  -  bruno pereira (indigenista) e dom phillips (jornalista) assassinados em 2022 enquanto defendiam direitos indígenas

 
  . . . . . . .  .  .  .  .  .   .   .   .    .    .

samba reforça o compromisso com causa dos povos da floresta, nossos ancestrais. está dito e escrito que a ambição e hipocrisia estão extinguindo nossa gente, não só yanomâmi. ambição, hipocrisia e deseducação constante são o mal de agora e de antes.
a história dos povos indígenas deveria estar nos bancos escolares, mas a gente sabe como ainda funciona esse ciclo chamado "educação básica", por aqui... a letra do samba vai na ferida das "pessoas de bem", aqueles regidos pelo egoísmo, pela ignorância e, claro, são os que mais odeiam índios e pretos. é a gente que ri da fome dos índios ou que condena aqueles que ajudam (salve,  pe. lancelotti!) os necessitados sem teto e, agora, essa gente vai merecendo o esculacho no maior show de arte e aprendizado que é o carnaval carioca.
não vamos nos render. 
"meu vermelho deu o tom" está num dos versos do samba enredo e significa o pau brasil, como pode ser a cor que vai na pele de muitos indígenas em tempos de guerra. vermelho também é sangue, aquilo que corre na veia ancestral, assim como o que é derramado por indígenas e por aqueles que ousam defender esse povo ancestral -- citados na canção, diga-se... 
pois é, no nosso cotidiano escolar, tem sido mais importante o mito grego, o mito cristão do que omama. assim como deuses dos brancos mais conhecidos que xangô ou iemanjá. resta a poucos abnegados, como a turma do salgueiro, incorporar a flecha para que o brasil seja cocar. 
  . . . . . . .  .  .  .  .  .  .   .   .    .

 importante :
Aceitar a voz de seus ancestrais, ver os espíritos da floresta, xapiri, dançarem diante de seus olhos (...)  E reafirmar sua possibilidade humana, sua identidade, diante da vontade predatória dos brancosO costume ameríndio, afinal, está mais ligado ao futuro da humanidade do que ao seu passado, como refletia o poeta e ensaísta mexicano Octavio Paz em 1993: A extinção de cada sociedade marginal e de cada diferença étnica e cultural significa a extinção de uma possibilidade de sobrevivência da espécie inteira. Com cada sociedade que desaparece, destruída ou devorada pela civilização industrial, desaparece uma possibilidade do homem – não só de um passado e um presente, mas um futuro.   
                                                                                                                       [ revista Cult ]

   . . . . . .  .  .  .  .  .   .   .   .    .    .    .

veja o samba enredo de 2023 - salgueiro: 



ailton krenak -- outra voz da floresta:



Nenhum comentário:

Postar um comentário