sexta-feira, 28 de maio de 2021

discutir algoritmos dentro do mundo capitalista é inútil

                                       

coloco aqui, trecho do artigo de ana rosa, na folha, maio:

"Algoritmos têm se mostrado ferramentas de reprodução de preconceito, injustiça e discriminação. Num ambiente automatizado, questões de gênero e de raça podem resultar em exclusão ou perpetuação de desvantagens (...) Algoritmos são códigos com instruções para execução de uma tarefa ou solução de um problema e, na atualidade, representam a forma mais eficiente para identificar, organizar e atingir um mercado. Assim como podem ser inclusivos, está comprovado que são também absurdamente excludentes. Por isso, uma questão relevante é quem os programa, como e com que motivação. Conscientemente ou não, preconceitos são embutidos nos algoritmos e reproduzidas pelas máquinas. (...) Se é verdade que ninguém nasce racista, o mesmo não se aplica aos algoritmos. Como diz meu amigo Carlinhos Muller, se um algoritmo é racista, isso faz parte de seu DNA”. 
                                                                  [ folha de s paulo, 23 maio 2021 ]

olhem, o assunto é mais do que grave. falei, em 2020, sobre o tema -- ver vídeo abaixo -- e resvalei nessa questão. já adianto: não vale a pena demonizar redes sociais e os tais esquemas de algoritmos. hoje, não dá pra simplesmente deletá-los do planeta. o que se deve pensar é na melhoria deles. 
o que faz do ser humano médio figura tão dependente desse cordão umbilical tecnológico? como utilizar vias digitais para melhorar cotidiano da humanidade e da natureza? parece que boa parte ddessa história, hoje, passa pelo consumismo. é o d.n.a. do humano. o do ocidente, pelo menos. daí pergunto: como discutir o consumismo dentro de um universo capitalista? é a mesma coisa que debater técnicas de mergulho com quem não sabe nadar. ou uma plenária de maioria masculina, no brasil, tratando do aborto. não resolve.
com a palavra, educadores e tecnólogos.  

. . . . . .  .  .  .  .  .   .   .   .    .    .



Nenhum comentário:

Postar um comentário