terça-feira, 31 de maio de 2022

o mundo é um moinho - cartola - comentário

 

    O MUNDO É UM MOINHO
           Cartola   [1908 - 80]

 Ainda é cedo, amor
 Mal começaste a conhecer a vida
 Já anuncias a hora de partida
 Sem saber mesmo o rumo que irás tomar
 Presta atenção, querida
 Embora eu saiba que estás resolvida
 Em cada esquina cai um pouco tua vida
 Em pouco tempo não serás mais o que és
 Ouça-me bem, amor
 Preste atenção, o mundo é um moinho
 Vai triturar teus sonhos, tão mesquinho
 Vai reduzir as ilusões a pó
 Preste atenção, querida
 De cada amor, tu herdarás só o cinismo
 Quando notares, estás à beira do abismo
 Abismo que cavaste com teus pés
 
 . . . . . .  .  .  .  .  .  .  .  .   .

neste samba "o mundo é um moinho", eu lírico fala com sua amada que está indo embora, para decepção dele.
ele procura dissuadi-la da ação de abandoná-lo, dizendo que o mundo é moinho e vai triturar os seus sonhos. ameaça a mulher amada afirmando que ela não será mais o que é, caso saia tão cedo da casa e também da relação. o “ainda é cedo, amor”, do início, é trocado por “preste atenção, querida”, depois, ao final, é apenas “tu”, em um tom severo, cínico, diminuindo a intimidade e buscando -- pelo medo; pela persuasão -- mudar o rumo da vida da mulher. ao que parece, não conseguiu.
agenor de oliveira, nascido em cantagalo, rio de janeiro, 1908. falecido na mesma cidade, em 1980. torcedor fluminense, foi um dos fundadores da escola de samba estação primeira de mangueira. o apelido "cartola" veio do tempo em que trabalhou como pedreiro e, para proteger-se, usava chapéu. 

. . . . . . . .  .  .  .  .  .   .

saiba mais :




Nenhum comentário:

Postar um comentário