terça-feira, 13 de abril de 2021

torto arado - itamar vieira júnior - sinopse

                                                                                                                                           [foto: roger ballen]

romance, 2018
narrativa se passa em minas gerais, grosso modo, entre os anos 1930 e 70

cenário base: fazenda água negra que abriga, durante dezenas de anos, famílias negras, explorando-as em troca de moradia.

donana, ainda jovem, rouba faca que estava num coldre, esquecido num alpendre da fazenda caxangá. queria vendê-la, melhorar a vida. mas a faca era bonita. afeiçoou-se ao objeto, guardou. quando soube que a filha carmelita era abusada pelo seu próprio companheiro, donana sangrou o homem, na beira do rio, livrando-se do estorvo. 

anos mais tarde, na fazenda água negra, as netas bibiana e belonísia, fuçando na mala sob a cama da avó donana, encontram o objeto. curiosas, acabam se cortando. bibiana fere a boca e belonísia perde a língua.

após o ocorrido, donana vai à beira do rio com um embrulho. certo tempo depois, é encontrada morta, à margem do rio. a faca desaparece.

romance narrado por três mulheres: bibiana, belonísia e rita pescadeira -- esta última, uma entidade que se apossava do corpo de uma mulher conhecida por miúda

completam a família das irmãs bibiana e belonísia:

zeca chapéu grande - pai - - curador de jarê 

zeca era parteiro e podia receber entidades, os "encantados"; ele cuidava de aflitos, doentes, e mantinha certa liderança entre os trabalhadores da fazenda água negra - - era filho de donana 

os demais:  salustiana - mãe   // zezé - irmão   // domingas - irmã    // servó - tio  // severo - primo

bibiana se aproxima do primo severo, ambos se enamoram, ela engravida.

ambos fogem para outras terras.

tobias, funcionário da fazenda, convida belonísia para morar com ele. zeca chapéu grande (pai) , consultado antes, reforça a ela que deve prevalecer a própria vontade. belonísia aceita

tobias se mostra violento. ofende belonísia que se arrepende de ter saído de casa

a faca de donana, do início da história, é encontrada acidentalmente por belonísia, na casa, quando tobias ainda era vivo. estava num pote de cerâmica

aparentemente possuída pelo espírito de santa rita pescadeira, num acesso de lucidez ou loucura, assassina o marido. 

bibiana retorna trazendo filho. vem para vsitar pais. anos mais tarde, traz todos os quatro filhos, e passa a viver novamente no lugar, na casa que constroem. o filho mais velho, inácio, é batizado por belonísia

bibiana conseguiu estudar e é professora, na escola que prefeito construiu a mando de santa rita pescadeira, quando estava no corpo de zeca chapeú grande

belonísia continua morando em sua casa, desde a época da união com tobias

marido de bibiana, severo, torna-se liderança que defende terra para quilombolas, além, do direito a salários, confrontando as posturas tradicionais de fazendeiros exploradores

severo é morto em frente sua casa. a investigação se inicia, mas a justiça declara -- mentirosamente -- que conflito se deu na disputa por drogas

santa rita pescadeira, a miúda, relata que tentou salvá-lo, entrando por seu corpo, mas não conseguiu. era um rio de sangue escorrendo pela fazenda

pelo crime contra severo, todos creem na responsabilidade de salomão, novo dono das terras de água negra

inácio, jovem, parte para cidade: quer estudar, ser professor

salomão é morto. encontrado seu corpo próximo ao rio, um corte no pescoço

a narrativa termina com o percurso de santa rita pescadeira pelo corpo de belonísia que sai em busca de uma onça que assustaria a comunidade. nesses movimentos, leitor acompanha o animal caindo numa cova, armadilha, e seu pescoço é cortado

. . . . . .  .  .  .  .  .   .   .   .  f i m

narrativa contém três partes: fio de corte; torto arado e rio de sangue

primeira parte: referência à perda da língua por belonísia e morte de donana  -- narração por bibiana

segunda: "arado" é a palavra que belonísia acredita poder pronunciar  -- narração por belonísia

terceira: "rio de sangue" é a expressão que se refere ao assassinato de severo, encontrado por sua esposa sobre um rio de sangue, símbolo da história dos negros pelo país que, metaforicamente ou não, sempre derramam sangue em meio às injustiças contra comunidade preta -- narração por santa rita pescadeira

faca - instrumento conhecido como "arma branca"; no romance, serviu para defender opressão sofrida pela comunidade preta; segundo uma das irmãs, donana tinha mais medo do significado dela do que seu poder de corte
língua - órgão fundamental na comunicação humana; no livro, simboliza a castração verbal a ques eram submetidos pretos e indígenas, no brasil, desde cabral; a perda da língua e a necessidade de se comunicar com ajuda da irmã bibiana expõe sorororidade, valor à união e consciência de suas origens
mulheres - donana, salustiana, belonísia e santa rita pescadeira representam a história acumulada pela ancestralidade que sofreu peso do racismo institucional mas que graças às suas origens souberam resistir e, de alguma forma, enfrentar essas adversidades

. . . . . . . . . .  .  .  .  .  .  .  .  .   .   .   .    .

saber mais:



Nenhum comentário:

Postar um comentário