quarta-feira, 30 de setembro de 2020

orlando é o clássico do século 20 na inglaterra



existem várias e várias obras inglesas legais, no séuclo 20.

literatura de gente como bernard shaw, conrad, shakespeare, donne, orwell, rushdie, mas sei que woolf, a virgínia de orlando, é um marco porque planta uma necessidade de se discutir e agir em torno dos assunto transexualidade e homossexualidade. fora a liberdade que tudo isso traz em relação a poder fugir desses rótulos de gênero.

saber mais ?
aassista-me!


terça-feira, 29 de setembro de 2020

ruínas circulares - jorge luis borges - resenha


                                                       escher - 1948

conto publicado no livro "ficções", 1944, em buenos aires, argentina
em 1941 o conto sai na coleção "o jardim dos caminhos que se bifurcam" 

as ruínas circulares

um mago chega numa região de beira de rio, vindo do sul, à noite.

este mago precisa dormir. quando dorme ele é um criador. em sono, alimenta sua fantasia criativa. 
ele, bem cansado, chega até o recinto das ruínas circulares. o local havia sido consumido pelo fogo. 
o mago precisava dormir e sonhar um homem. era seu destino. a necessidade era tamanha que ocupava toda sua alma, de modo que nem sua origem ou nome ele mesmo desconhecia.
lavradores, em volta do lugar, sustentavam sua vida com fruta e arroz.

nos sonhos, havia alunos para este mago. estudavam anatomia e cosmografia.
os alunos não supriam a expectativas do mago mestre. então, ele os dispensa, ficando apenas com um. mas antes de seguir com seu projeto de criar alguém, veio a tragédia: ele despertara desse sono e não conseguia mais dormir. passou dias assim, lúcido. desesperado. resolveu recuperar energias. 

numa noite enluarada, o mago purifica-se nas águas do rio, adora os deuses planetários e dorme.
então, sonha um coração pulsante. depois de quatorze noites, já havia artéria pulmonar. em menos de um ano, chegou ao esqueleto e às pálpebras.
noite após noite, sonhava a sua criação: um homem adormecido. criatura pronta, não falava, nem andava. o mago, esgotado, numa certa noite quase destruiu sua obra. diz o texto, num parêntesis, que teria sido melhor destruí-lo...

pede ajuda ao deus, nas ruínas onde se encontra. o nome desse deus era "fogo". este deus o ajuda e pede que a figura criada seja enviada a outra região. 
"no sonho do homem que sonhava, o sonhado despertou".

o mago aceitou a ideia. gastou dois anos ainda para terminar a obra por completo. o homem que sonhava chama sua obra de "filho". nesse tempo, preparou-o com tarefas que envolviam esforço físico. passado tempo, era hora de fazê-lo nascer. em carne e osso, então, é enviado a outo templo. o homem tem  cuidado de apagar a memória dos tempos de aprendiz desse filho. só seu criador e o deus fogo sabem que o sonhado desperto é um fantasma, não é real.

tempos se passam e dois homens daquela aldeia revelam a ele, mago, que há uma pessoa que pode atravessar o fogo sem sofrer queimaduras. o homem sabe, portanto, que se trata de seu filho.
temendo que este filho descobrisse que ele seria um simulacro, o homem temeu pela decepção de que sofreria...  temeu, então, pelo futuro do filho.
suas preocupações tiveram final brusco. um incêndio -- como ocorrido tempos atrás -- toma as ruínas novamente. pensou em refuguiar-se nas águas, mas acreditou que poderia ser a hora de morrer, após anos e anos vividos. entrega-se às chamas. contudo, as labaredas não o consomem. ele era também um simulacro, um fantasma. ele era a projeção de um outro homem. 


. . . . . . . . . . .  .   .   .   .   .   .   .    .

conto - - narrativa com um conflito; uma célula dramática

conflito (clímax) - - a descoberta, pelo mago, de que ele era um simulacro

foco - - terceira pessoa

a epígrafe do texto é de charles dodge: "and if he left off dreaming about you..."
 [ "alice através do espelho" -- lewis carroll, pseudônimo de dodge ]

teóricos da literatura afirmam que este estilo de borges seria o "realismo mágico". ou "realismo fantástico", o que, por si só, demanda tremendo paradoxo. não gosto dessa nomenclatura. prefiro surrealismo mesmo. fantasia. mas vão dizer que eu não estudei tanto como os demais teóricos, então, fica assim: borges é realismo mágico (seguem meus risos de boca fechada).
simulacro, fantasia, força dos mitos, nada novo, como se vê. mas a ficção de borges aguça nossa curiosidade por olhar através do espelho.

debates possíveis 

- - mitologia: para que servem as religiões? 
- - ser sonhador é ser utópico? 
- - o que é realidade?
- -  quem sou eu? sou a projeção de outros em mim, desde a infância?
- - gênesis bíblico e frankenstein se unem ao debate
- - alice no país das maravilhas, obviamente, entra na história


sexta-feira, 25 de setembro de 2020

MELHORA, 2020 !

 

setembro de 2020. 

mortes continuam. quase 140 mil, oficialmente, no país.

bares reabrem, escolas querem voltar, estádios planejam público de volta...

não houve ainda lockdown, não há testes na quase totalidade das escolas e não existe vacina. 

enfim.

fiz uma proposta a uma das salas de ensino médio que tenho. uma campanha para buscar animar quem está sofrendo mais... algo como banner, vídeo. 

uma das salas tinha como tema o "setembro amarelo". 

outra, apenas o "melhora, 2020!", mais genérico.

leandro fez o banner "procure ajuda", aqui acima.

wallace, primeira série, fez este aqui:





segunda-feira, 21 de setembro de 2020

camões em perigo - análise dos sonetos de luís de camões

                                                        


sonetos do poeta português

O QUE VAI ENCONTRAR
  • o que é renascimento
  • comentários sobre vários de sonetos
  • e por que camões corre perigo...

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

mula-sem-cabeça é questão de prova, nesse brasil


o desenho é do cartunista adão, mas a história é bem real.
a burrice impera em muitos setores de nossa sociedade e essa é a pior pandemia.


faria questões de prova, certeza

1. qual função da linguagem prevalece quando se unem os termos "mula" e "mala" ?

2. a quem se refere o desenho do homem engravatado?

3. crie três pequenos discursos que esclareçam e corrijam as falas do homem.

.
.
.
.

respostas possíveis


1. função poética


2. o desenho se refere a figuras tanto da extrema direita como da extrema ignorância, aquelas que acham a terra plana e condenam vacinas.


3.  a terra não é plana; nazismo é de extrema direita; bandido bom é bandido julgado -- desprezar ciência, desconhecer história e pregar pena de morte são índices de indigência intelectual, resvala no racismo e toda conduta desumana pracisa ser combatida, preferencialmente com o cérebro que argumenta e com a lei que pune.

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

os canalhas não suportam poesia


                 rafael corrêa, cartunista, século 21

não é de hoje que os canalhas não suportam arte.

sabemos de censuras, no país, desde gregóprio de matos, lá no século 17.

houve censura a caetano veloso, geraldo vandré, graciliano, cassandra rios,  jorge amado... dentre outros tantos e tantas.

os canalhas são violentos; canalhas espalham notícia falsa, ele são individualistas, odeiam escola, ciência, arte, mulheres, pretos, indígenas, são o que são porque o brasileiro em geral sempre sonhou em ser da casa grande. e para ser da casa grande, precisa se comportar como tal. daí a truculência, corrupção, o estar acima da lei, o desprezo pela ciência...

queria muito que a vida melhorasse.

é clichê, eu sei. vida melhor. queria vida melhor...

prefiro o clichê a esse amargo na boca.

quero mundo melhor.

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

vida tá foda vira questão de prova, na pandemia

                                                                                                         estela may 

como tá a vida?

pois é, tirinha da estela may, aqui, em 2020, pelo jornal "folha de s paulo".

dava uma questão de prova e eu perguntaria: 

1. qual o sentido possível de "foda" no primeiro quadrinho? 

2. no último quadrinho, o segundo "foda" qualifica a palavra "foda" que lhe antecede. qual seria uma melhor transcrição deste último quadrinho para uma linguagem mais formal?

.
.
.
.
.

.

.

respostas possíveis

1. intensa 

2. intensamente intensa


reparem que não tem menor sentido traduzir linguagem oral, né.
foda isso.

sábado, 5 de setembro de 2020