domingo, 28 de abril de 2019

bater na educação é primeiro gesto da demência -- internação pode ajudar





presidente da república, eleito, tomou posse em janeiro 2019, diz que filosofia e sociologia não merecem apoio do brasileiro... essas ciências não dariam retorno -- palavras de jair -- e melhor seria focar em medicina etc etc... nem precisa lembrar que para ser médico razoável (e não doutor bum-bum) passa-se pelo estudo da ética... para ser engenheiro razoável (e não sergio naya) é preciso ter mínima noção de cidadania e para que serve uma obra. 
mas não adianta escrever isto, porque gente como esse presidente não entende de argumento, não trabalha com intelecto, nada sabe de empatia, diferenças sociais e importância da educação. 
falharam governantes anteriores... estaduais, federais, municipais... deveriam ter feito mais pela ciência, pela educação básica, pelos professores, mas a ideia nunca foi esta... foi o curto prazo, a eleição baseada em promessas voláteis, como "honestidade", "dignidade", "trabalho", termos tão vagos quanto "sempre" e "nunca". 
falharam elite e clero que, nada, nada estavam a quinhentos anos ditando regra para a população mais pobre. falharam porque planejaram tudo pensando no próprio umbigo e nunca deram ouvidos a quem estava na escola... nossa elite sempre pulou essa parte do estudar. hoje só sabe de auto-ajuda e nem assim deixam de bater em mulher, sonegar imposto ou sustentar turismo sexual...
o título desse texto não se dirige apenas ao óbvio tuiteiro que fez arminha com a mão durante campanha eleitoral... é também aos que elegeram esta desgraça que envergonha até -- pasmem -- que flertou com nazismo, tamanhas as besteiras ditas a respeito da segunda guerra mundial.
precisamos de nossa dignidade de volta. educação é o único lugar. não é no congresso apenas, nunca foi na igreja, não é no armamento, nem condenando à morte negros, mulheres, comunidade lgbt e afins como se vem fazendo há tempos. 


quem é educador, educadora, precisa sempre manter a dignidade. 

ninguém solta a mão de ninguém.


. . . . . . . . . . . . . . . . . . .  .  .  .  .  .  .  .   .   .   .   .   .    .

se puder, veja, divulgue




segunda-feira, 15 de abril de 2019

descreve com galharda propriedade o labirinto confuso de suas desconfianças - gregório de matos





Descreve com galharda propriedade o labirinto 
confuso de suas desconfianças


Ó caos confuso, labirinto horrendo,
Onde não topo luz, nem fio achando,
Lugar de glória, aonde estou penando,
Casa da morte, aonde estou vivendo!

Ó voz sem distinção, Babel tremendo,
Pesada fantasia, sono brando,
Onde o mesmo, que toco, estou sonhando,
Onde o próprio, que escuto, não entendo!

Sempre és certeza, nunca desengano,
E a ambas propensões, com igualdade
No bem te não penetro, nem no dano.

És ciúme martírio da vontade,
Verdadeiro tormento para engano,
E cega presunção para verdade.


. . . . . . . . . . . .  .  .  .  .  .  .  .  .   .   .   .   .   .    .

babel – bíblico: 
torre inacabada por castigo divino, daí seus idiomas se confundiram; caos

. . . . . . . . . . .  .   .  .  .  .  .  .   .    .

"labirinto confuso", no título, indica um pleonasmo e intensifica o estado conflituoso do eu lírico

- tema do texto pode muito bem combinar com estado de luís da silva, em angústia ou mesmo rubião, lá do quincas borba

- estilo barroco se revela nas ocorrências de contradições ao longo do texto


Paradoxos

1. sofrimento no lugar de glória  - verso 3

2. morte e vida – verso 4


. . . . . . . . . . .  .   .  .  .  .  .  .   .    .


terça-feira, 9 de abril de 2019

já é abril de 2019






ja é abril de 2019 e continuo vendo notícias de gente que afirma ser a terra plana, que não gosta de vacina, que julga o comportamento sexual dos outros, que ataca mulheres, que diz ser o nazismo de esquerda...

já é abril de 2019 e o assassinato de marielle franco continua sem esclarecimento
já é abril de 2019 e o rio de janeiro ainda sofre com enchentes como se fora uma cidade do século 19

é depressivo, é extenuante tentar elaborar tudo isso sem ver brotar o desgosto,  raiva e o desespero no coração

precisa refletir

precisa usar da educação como ferramenta, ponto de apoio, marca de acolhimento para ajudar a despertar, no ser humano jovem um tanto de autonomia e confiança na realidade palpável

é necessário usar do laboratório de ciências da escola pra debater a própria ciência
é necessário reviver cafés filosóficos no pátio
é necessário criar jogos de interação entre estudantes nos espaços livres da escola

já é abril de 2019